BUENOS AIRES – DICAS GERAIS

Imagem

Buenos Aires tem se tornado o destino predileto dos brasileiros para viagens de curta duração.

Muito se deve ao fato do peso argentino estar desvalorizado e às inúmeras promoções realizadas pelas companhias aéreas.

No período compreendido entre maio de 2012 até agosto de 2013 estive por três vezes na capital portenha (uma vez com meus pais e duas com minha namorada), portanto, espero passar dicas valiosas aos próximos viajantes.

1) COMO CHEGAR

 Eu sempre procuro promoções, portanto, não sou fiel a nenhuma Cia Aérea. Viajei por 03 empresas diferentes (Gol, TAM e Aerolineas Argentinas) e posso dizer que todas são similares em termos de serviços, aeronaves e tempo de duração dos voos.

Meu único critério de compra se pauta por voos diretos, uma vez que não tenho paciência para fazer escalas.

Fiquem atentos também para promoções da Turkish Airlines e Qatar Airways, eis que fazem o voo São Paulo – Buenos Aires em aeronaves modernas e com muitas opções de entretenimento a bordo. Estas duas empresas são consideradas de grande excelência, figurando entre as melhores do mundo. Vale a pena conferir!

Eu aconselho, caso seja possível, descer no Aeroporto Jorge Newbery (AEROPARQUE), ao invés do Aeroporto de Ezeiza, tendo em vista que fica dentro de Buenos Aires, facilitando e barateando o seu deslocamento para o Hotel.  

 

2) TRANSPORTE

O deslocamento em Buenos Aires pode ser realizado via metrô, ônibus, táxi ou sola de sapato.

Nem pense em alugar um carro. Eu moro em São Paulo e considero os portenhos totalmente malucos ao volante.

Os táxis de Buenos Aires são os mais baratos do mundo e são sempre pretos em baixo e amarelos na parte superior.

A bandeira 1 tem início em 10 pesos e adiciona-se 1 peso a cada 200 metros (preço de agosto de 2013).

A quantidade de taxistas é absurda, nunca fiquei mais do que 1 minuto esperando por um táxi. Os próprios argentinos utilizam este meio de transporte a todo momento. Porém, faço 04 ressalvas:

A) Evite os táxis clandestinos. Procure sempre utilizar os táxis das centrais/cooperativas. Sabe-se a procedência do veículo, bem como todos os condutores utilizam uma ficha de identificação pendurada no banco do motorista. Todos os hotéis, lojas e restaurantes oferecem a cortesia de chamar um táxi destes locais. As centrais cobram 06 pesos pela chamada. 

B) Não entre em táxi sem o lacre que fica no canto esquerdo do taxímetro. A chance do dispositivo estar adulterado é muito grande. Eu e minha namorada caímos nessa pegadinha ao entrarmos em um táxi qualquer na rua. Resultado: uma corrida que custa normalmente 35 pesos nos custou o triplo.

C) Sempre tenha notas pequenas para pagar o táxi. Evite utilizar notas de 100 pesos uma vez que os malandrões trocam seu dinheiro por moeda falsa tão rapidamente que fica muito difícil de perceber.

D) Para facilitar a vida do taxista e demonstrar que vc conhece alguma coisa, sempre fale os endereços com o nome do cruzamento das ruas. Por exemplo: caso seu destino seja Av. Cel. Niceto Vega, nº 5832 diga ao taxista “Niceto Vega y Carranza”, já que o endereço desejado está próximo da esquina com a Rua Angel Justiniano Carranza.

Para aqueles que possuem smartphones, aconselho utilizarem o google maps para salvar os pontos de interesse e mostrar o caminho a ser utilizado, evitando-se, assim, o famoso caminho “extra” que os taxistas gostam de fazer.

O metrô de Buenos Aires lembra muito o de Nova York, ou seja, sujo e nem sempre bem frequentado, porém considero uma ótima pedida para quem quer economizar o dinheiro do táxi.

Como dito anteriormente, sempre procuro me deslocar de táxi, mas as vezes que utilizei o metrô com minha namorada não tivemos qualquer problema.

Os bilhetes magnéticos (chamados subtepass) são válidos para uma ou múltiplas viagens. Nós compramos o bilhete com 10 e o utilizamos em duas viagens distintas.

O metrô de Buenos Aires possui 5 linhas urbanas (A, B, C, D e E) e não cobrem toda a cidade.

Aconselho baixar o aplicativo gratuito Transport Map Buenos Aires (apple store) ou pegar um mapa das linhas nas estações, aeroportos e/ou hotéis para analisar a viabilidade de acesso aos locais desejados.

Horários de funcionamento: segunda a sábado, das 6h até as 22h30; aos domingos e feriados, das 8h as 22h. Portanto, nada de metrô para voltar da balada!

Não tenho muito conhecimento acerca do sistema de ônibus em Buenos Aires, mas pude perceber que são bastante utilizados pelos argentinos, possuem pontos muitos próximos, circulam de madrugada, embarca-se pela porta dianteira e o motorista emite o bilhete de acordo com a corrida.

Como em todas as grandes metrópoles, Buenos Aires possui a “hora do rush” das 7h as 9h e das 18h as 20h.

 

3) SEGURANÇA

Pode-se dizer que Buenos Aires ainda continua uma cidade relativamente segura, porém, não aconselho caminhar pelo Centro a noite e nem se descuidar da bolsa e carteira durante toda a viagem.

 

4) CÂMBIO

Todos sabem que o governo restringiu a compra de dólar pelos argentinos, consequentemente, criou-se um mercado paralelo de compra e venda da moeda americana chamado de “cambio blue”.

Muitos brasileiros estão levando dólar e trocando nestes estabelecimentos ilegais, uma vez que pagam quase o dobro da cotação oficial praticada pelos bancos e casas de câmbio legalizadas.

Não estou aqui para julgar, mas aconselho tomarem cuidado com as notas falsas destes locais, especialmente no Centro. Ademais, a maioria dos restaurantes se renderam a tal fato e estão aceitando o dólar pelo mesmo preço do “cambio blue”.

Em suma, quem vai trocar dinheiro pelo “cambio blue” tem que levar dólar, e quem vai utilizar os locais legalizados pode levar a nossa moeda ou utilizar os cartões internacionais (débito/crédito) ou pré-pagos (visa travel money).

Vale ressaltar que o cartão de crédito internacional cobra 6,38% de IOF. Os cartões de débito e pré-pagos cobram apenas 0,38% de IOF. Cada banco cobra uma taxa diferente por saques no exterior, desta forma, entre em contato com seu Gerente para maiores informações.

 

5) DICAS FINAIS

– Os argentinos não costumam ser muito educados com brasileiros, mas toda regra tem suas exceções. Por outro lado, seja sempre simpático e educado, não faça com os outros aquilo que não gostaria que fizessem com vc.

– Não vejo problema em usar camisas da seleção brasileira, porém, não utilizo esta prática já que gosto de comer minha refeição sem qualquer preocupação de como foi feita.

– Frequente os supermercados da cidade para comprar ótimos vinhos, cervejas e petiscos por preços absurdamente baratos. Lembre-se que na Argentina é proibido beber caminhando pela rua.

Posts relacionados:

https://comidaparaviagem.wordpress.com/2013/08/27/buenos-aires-restaurantes/

https://comidaparaviagem.wordpress.com/2013/08/27/buenos-aires-onde-ficar/

https://comidaparaviagem.wordpress.com/2013/11/11/tigre-argentina/

Advertisements

5 thoughts on “BUENOS AIRES – DICAS GERAIS

  1. Pingback: BUENOS AIRES – RESTAURANTES | Comida para viagem

  2. Pingback: BUENOS AIRES – ONDE FICAR | Comida para viagem

  3. Pingback: TIGRE – ARGENTINA | Comida para viagem

  4. Pingback: MONTEVIDEO – PUNTA DEL ESTE | Comida para viagem

  5. Pingback: MONTEVIDEO | Comida para viagem

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out / Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out / Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out / Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out / Change )

Connecting to %s